Agência Pará - Pacientes do Hospital Oncológico Infantil iniciam o semestre letivo | Pró-Saúde
Voltar para home
Imprensa

Na Mídia

Agência Pará - Pacientes do Hospital Oncológico Infantil iniciam o semestre letivo

 

 

O ano letivo das crianças e adolescentes que estão em tratamento no Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo (HOIOL) começou esta semana. Em parceria com a Secretaria de Estado de Educação (Seduc), o Programa Prosseguir funciona na modalidade Classe Hospitalar e garante aos pacientes a continuidade no ensino Primário, Fundamental, Médio e Educação de Jovens e Adultos (EJA), de forma que eles não percam o ano escolar em virtude do tratamento médico.

Segundo o médico e professor referência do programa Prosseguir, Tarcísio Cardoso, a pedagogia hospitalar é muito importante para o sucesso do tratamento. “Diversos estudos revelam que o atendimento de Classe Hospitalar funciona como coadjuvante no tratamento da criança, visto que ele proporciona uma espécie de resgate da vida que ela levava antes de se internar, ajudando na melhora da autoestima, minimizando suas perdas sociais, psicológicas e cognitivas, e ainda ajuda a reduzir o tempo de internação e aumentar a adesão ao tratamento”, explica.

Luzia Rocha é mãe de uma menina de 6 anos que está internada no hospital desde dezembro de 2015. A mãe disse que a criança levantou da cama esperta para o seu primeiro dia de aula. “Oba! Hoje tem aula”, disse a menina que é natural de Parauapebas. “Ela acordou muito empolgada, pediu para tomar banho e se vestir para ir para aula, e quando ela entrou na sala já foi logo dizendo que era muito parecida com a escolinha que ela estudava”, relatou a mãe emocionada.

Cerca de 40 alunos já estão matriculados, entre eles, estão pacientes internados no hospital e também aqueles que estão em fase de tratamento como, quimioterapia e consultas regulares. O atendimento é feito de três maneiras: na sala de aula, que fica dentro do hospital; no leito, quando o paciente está impossibilitado de ir até a sala de aula; e domiciliar, quando há restrições médicas. “O gerenciamento das crianças é feito todo pelo hospital, através do seu corpo clínico que indica quais crianças podem ser atendidas e como pode ser esse atendimento, além do hospital os pais também precisam autorizar esse atendimento, nenhuma criança é obrigada a participar do projeto”, explica o médico Tarcísio Cardoso.

As aulas ocorrem todos os dias, de segunda a sexta-feira. Pela manhã o atendimento é feito com as crianças de seis a dez anos, através da educação infantil. Já pela parte da tarde é feito o atendimento com as crianças maiores e adolescentes, que estão no ensino fundamental e médio, e educação de jovens e adultos (EJA).

Capacitação - Segundo a coordenadora de Humanização do Hospital Oncológico Infantil, Paula Viana, em paralelo com o Prosseguir, já está em fase de implantação a realização de atividades complementares voltadas para os pais. “Nossa intenção é proporcionar a esses familiares, que na grande maioria são mães dedicadas ao tratamento de seus filhos, atividades complementares para otimizar o tempo ocioso enquanto seus filhos estão na aula, com a realização de oficinas, cursos de qualificações, grupos de apoio, dentre outros”, explica Paula Viana.

<< voltar