G1 - Hospital Universitário e faculdade de Jundiaí serão polo de pesquisa do zika | Pró-Saúde
Voltar para home
Imprensa

Na Mídia

G1 - Hospital Universitário e faculdade de Jundiaí serão polo de pesquisa do zika

 

As amostras coletadas de sangue no Hospital Universitário de pessoas com suspeita de zika vírus serão encaminhadas para Laboratório de Biologia Molecular da Faculdade de Medicina de Jundiaí (SP), com objetivo de identificar e detalhar esse novo vírus que chegou no Brasil recentemente.

No mundo existem apenas 200 estudos sobre o zika vírus e objetivo da pesquisa é encontrar uma vacina capaz de proteger as pessoas. A letalidade da doença é zero, porém o vírus se aloja no cérebro do bebê e impede seu crescimento, complica funções neurológicas como fala, visão e audição e como consequência causa a microcefalia.

O anúncio foi detalhado durante uma palestra com o médico Saulo Passos, no Hospital Universitário (HU), que foi acompanhada por aproximadamente 130 pessoas.

​“Sabe-se muito pouco sobre o zika e nós vamos contribuir de forma direta mapeando a rota de contaminação do mosquito nas gestantes e crianças”, completa o professor da FMJ, pediatra do HU e coordenador da pesquisa, Saulo Passos.

Os sintomas do zika são parecidos com um quadro gripal: febre baixa, mal-estar, vermelhidão no corpo, conjuntivite, diarreia e vomito. “Quando o paciente apresentar esses sintomas, será colhida uma amostra de sangue e encaminhada para laboratório da FMJ. No caso de exame positivo, o material é enviado para USP para mapeamento mais detalhado”, explica Passos.

A prevenção é repelente e a extinção de criadouros do mosquito. “A população pode contribuir efetivamente acabando com o foco do mosquito e criadouros nas casas. Cada um deve fazer a sua parte”, conclui Passos.

<< voltar